Deixa a Chuva Cair

Documentário longa metragem de música, arte e cultura

Sinopse
Atualmente, se tornou mais comum vermos o surgimento de novos artistas talentosos que usam a internet para divulgar seus trabalhos. Um exemplo disso nasceu das vilas da zona Sul de Teresina: o grupo de rap “A Irmandade”, formado pelos músicos Kedé, Aliado, Luciano e George. Apesar de não possuírem quase nenhuma estrutura própria para o audiovisual, os integrantes produzem cada vez mais músicas e clipes – agora também com seus projetos solos.

Por meio de amigos e parceiros, essas novas produções passaram a contar com o apoio de profissionais na fotografia, direção, edição e roteiro. Assim, o documentário conhecerá melhor a juventude que vive nessas pequenas comunidades e mostrará como as produções culturais conseguem sobreviver e se tornar ainda melhores em ambientes marcados pela pobreza, tráfico de drogas, conflitos entre gangues e repressão policial.

Informações Complementares
A ideia de “Deixa a Chuva Cair” é descobrir mais sobre como o acesso aos meios de produção e divulgação tem modificado a rotina de produção de músicas e clipes para artistas de comunidades pequenas, que encaram diariamente problemas como o preconceito racial, a violência policial e a vivência em meio a um ambiente cercado pela atuação de gangues.

Dessa forma, a história dos rapazes da Irmandade – mesmo que contada diretamente das vilas na zona Sul de Teresina – dialoga com uma infinidade de comunidades de todo o país e com mais um universo de artistas independentes que encontraram na internet uma maneira de driblar as dificuldades de divulgação de seu material.

Olhando de uma maneira geral, “Deixa a Chuva Cair” pode ser descrito como uma história sobre como o talento pode superar barreiras – sejam elas econômicas, territoriais ou erguidas pelo preconceito.

Detalhes técnicos:
O documentário “Deixa a Chuva Cair” possui uma restrita lista com alguns personagens centrais, mas não há dúvida de que a chave para a construção do documentário é o grupo de rap A Irmandade e, em especial, a pessoa de Cledeilson Barreto, o rapper “Preto Kedé”, de 27 anos – o primeiro do grupo a lançar carreira solo, tendo divulgado seu primeiro EP em 2014. Uma parte do filme destaca a realidade que é vivenciada pelos músicos nas comunidades e a necessidade de voz social, que eles encontram na música. As comunidades da zona Sul de Teresina, onde fica a maioria das locações, são conhecidas pelos altos índices de violência e pelos confrontos de gangues da região. Por isso, a fase de produção do documentário exigirá muito cuidado e um cauteloso trabalho de aproximação com a população que vive nos locais onde moram os integrantes da Irmandade.

Um dos pontos centrais de “Deixa a Chuva Cair” é o trabalho social que A Irmandade realiza com a juventude dessas comunidades nas áreas de música e vídeo. Sendo assim, o grupo será acompanhado em eventos, gravação de novos vídeos, canções e apresentações – sempre ressaltando os momentos em que esse trabalho começou a ganhar espaço na internet e como isso mudou a rotina de produção e a relação com as comunidades.

Também serão abordados casos de grande repercussão envolvendo os músicos. Em um deles, menos de dois anos atrás, Kedé compôs a música “Ira”, que ataca (ou revida) a Polícia Militar, culpando-a por abordagens violentas e assassinatos de jovens negros. Nesta música, Kedé cita o nome e fala diretamente para uma das pessoas que mais ganhou fama, através da imprensa do estado, por defender um severo tratamento a criminosos: o capitão da PM Fábio Abreu. No ano passado, em sua primeira disputa eleitoral, Fábio Abreu foi eleito deputado federal com mais de 80 mil votos. Em março de 2015, a convite do governador do estado, ele se afastou do cargo de parlamentar para assumir a Secretaria de Segurança do Piauí.

O guia para a montagem é cronológico, tendo como base os momentos abordados na história da Irmandade e os fatores sociais relacionados a cada um deles (ex.: Surgimento do grupo: rivalidade entre gangues da região / Aumento do peso nas letras: repressão policial e da mídia / Inserção de novos elementos pop nas canções: profissionalização e abertura criativa necessária para o mercado da web). Quanto aos aspectos técnicos, serão utilizados com uma frequência maior: planos gerais (das comunidades envolvidas), planos conjuntos (com ações cotidianas), closes e detalhes (destacando expressões, pequenos movimentos e características das comunidades).

deixa-chuva-cair-documentario

• junho 5, 2015

Um comentário para: Deixa a Chuva Cair

  1. São propostas como estas que trabalham as mudanças a longo prazo e duráveis dos paradigmas sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *